quarta-feira, 4 de maio de 2011

Mérito e o Monstro

"Pra dilatarmos a alma temos que nos desfazer pra nos tornarmos imortais a gente tem que aprender a morrer com tudo aquilo que fomos e tudo aquilo que somos nós"
Um suicídio a cada dia, assim a vida segue de maneira automática, pessoas vivem enquanto eu morro pra existir, mato-me para crescer e morro sem errar.
Hoje é simples...
Basta que eu morra, pra mais tarde então viver.
Tanta luz, tanta estrada, tantas voltas e tanta paz.
Hoje é simples, e agora, é viagem.Tudo em volta é real.
Mártires dessa história, hipotéticos como nós. Uma troca tão valente, medidas tão exatas, e o vencedor então sou eu.
Te entrego minha vida, tenho em troca o que sou.
Escolha da razão, deixando de ser vão pra mais tarde não saber.
Entre sonhos, paradoxos, entre medos os próprios sonhos, hoje é simples, basta apenas acordar.


Inspirado na música de Fernando Anitelli.

Um comentário:

  1. paulo henrique dos santos(Biá)4 de maio de 2011 16:17

    viver ,e morrer extrimidades q vivem lado a lado
    como arroz e feijão,como leite e cafe]
    mais ao mesmo tempo como sol e lua!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir